Assembleia Geral da Sociedade Portuguesa de Fisiologia

10 de Outubro de 2019

 

Cerimónia de atribuição dos títulos de Sócios de Honra

  



 

A Direcção da Sociedade Portuguesa de Fisiologia, ora eleita, tem o grato prazer de assumir, como um dos seus primeiros atos públicos, a distinção dos Sócios de Honra desta sociedade nas pessoas do Senhor Professor Antonio Manuel Bensabat Rendas e do Senhor Professor Pedro Freire Costa

 

O Professor António Rendas é um dos Académicos mais reconhecidos no nosso País, fruto de uma vasta carreira sempre dedicada à causa publica, em particular na Universidade Nova de Lisboa que serviu como docente, como investigador e como Reitor, bem como no Conselho de Reitores CRUP. Muitas vezes distinguido ao longo da sua carreira, o que inclui a Grã Cruz da Ordem de Instrução Publica, recentemente imposta pela Presidencia da Republica (2017), sintetizar os seus atributos em função das suas qualidades é tarefa impossível. Mas alguns destes trajectos possuem especial significado. Formado em Medicina, cedo procurou a especialização, logo como bolseira Gulbenkian em Londres, depois em Harvard. Regressa a Lisboa, à Universidade Nova onde se dedicou à docência e investigação nas suas áreas de devoção – a Fisiologia e a Fisiopatologia. Como pedagogo, reconhecemos-lhe a introdução do método Aprendizagem Por Problemas (APP) no ensino médico, anunciando a exploração de novos meios e métodos de ensino, próprio do seu caracter realizador. Professor Emérito da nossa Academia, faz parte da rede ÚNICA (network of Universities from  Europenan Capitals) e integra o Conselho de Curadores da Universidade AgaKhan

 

A Sociedade Portuguesa de Fisiologia, a sua Assembleia Geral e a sua Direcção sentem-se   particularmente honrados e distinguidos pela pronta aceitação deste singelo título honorifico que lhe oferecemos com humildade e particular satisfação.

 

                               

 

                         

 

 

O Professor Pedro Freire Costa obteve a licenciatura em Medicina pela Faculdade de Medicina de Lisboa em 1997 e o Doutoramento em 1984 pela Universidade de Bristol.  Fez provas de Agregação em Fisiologia em 1997 na FCM/UNL, onde é Professor Catedrático de Fisiologia desde 2004, aposentado desde 2017.

A Fisiologia sempre foi o foco de interesse do Professor Pedro Costa que aos 20 anos, ainda nos primeiros anos do Curso de Medicina, se juntou ao laboratório de fisiologia do antigo Instituto Gulbenkian de Ciência onde desenvolveu actividade de investigação integrado na equipa dirigida por Hugo Gil e no grupo de biomecânica de Kelo Correia da Silva. Nesse período de passagem pelo antigo IGC, aprendeu as bases fundamentais da abordagem ao design experimental, a lidar com informação, a escrever artigos científicos, a construir instrumentação electrónica e mecânica, fundamentos do transporte em membranas, mecanismos de controlo neuromuscular e mecanismos de controlo respiratório.

Entre 1981 e 1984 foi bolseiro de Doutoramento no Departamento de Fisiologia da Escola Médica na Universidade de Bristol. O seu trabalho centrou-se então em estudos de neuroexcitabilidade usando métodos de registo in vitro. Os estudos de biofísica da excitabilidade continuaram depois, com o regresso a Portugal, incidindo nas alterações de propriedades de membranas neuronais com o desenvolvimento e maturação pós-natais, em registos de current clamp e patch clamp.

Chegado a Portugal construiu e instalou o Laboratório do então Departamento de Fisiologia da Faculdade de Ciências Médicas da UNL, que dirigiu até à data da sua aposentação. Nele imprimiu fortemente os traços da sua personalidade e uma forma particular de estar na ciência e na vida.

O Professor Pedro Costa sempre foi um artesão da Fisiologia.

A construção de equipamento, a instalação dos setups, a adaptação do software de registo e análise de dados eram parte integrante do trabalho no seu laboratório. Recordo como o irritava o equipamento que não podia desmontar …

Como, porquê, quais os mecanismos, de que maneira … eram perguntas repetidas; tanto como era olhada de lado perguntar … para quê?...

Essa forma de estar em ciência foi passada a todos quantos trabalhámos com ele.

Com o enorme respeito e espírito de liberdade que sempre cultivou incentivou-nos sempre a escolher os nossos próprios caminhos, na ciência e na vida.

Crítico acérrimo do publicar por publicar, do publicar para o currículo, procurou incutir em todos quantos com ele trabalharam um apurado sentido crítico. Isso o isolou de muita gente, isso o tornou mais próximo de uns poucos que com ele tivemos a sorte de trabalhar de perto.

Foi também grande a importância do trabalho do Professor Pedro Costa no ensino da Fisiologia. Promoveu e implementou a utilização de modelos informáticos no ensino da Fisiologia, quando ainda pouco ou nada se falava de modelos e o ensino nas aulas práticas era baseado na utilização de animais de laboratório. O tipo de ensino tutorial que construiu, tendo como base esses modelos, progressivamente actualizado, é ainda o praticado na Unidade Curricular de Fisiologia da FCM/NMS da UNL. Da mesma maneira as formas de avaliação dos alunos que implementou anteciparam avant la lettre os quizz que hoje utilizamos.

Por tudo isto, bem como pela profunda amizade e respeito que temos pelo Professor Pedro Costa, é para nós uma honra e um prazer muito especial, nomear o Professor Pedro Freire Costa como sócio honorário da Sociedade Portuguesa de Fisiologia  (esta distinção, entregue pelo Presidente da Assembleia Geral, Professor Carlos Nunes Filipe, foi recebida em nome do Professor Pedro Costa, pela Professora Ana Isabel Moura Santos do Departamento de Fisiologia da FCM/NMS).

 


 

Go to top
JSN Sky 2 is designed by JoomlaShine.com | powered by JSN Sun Framework